Eles precisam de nós...  

Posted by: Rose Porciuncula in


Acordei hoje indignada com o que vi nesse vídeo.
É o absurdo dos absurdos.
Fico sem palavras perante a esse tipo de ação.
Precisamos fazer alguma coisa para que isso pare.
Eles não são estudantes eles são é BANDIDOS!

"O que me preocupa não é o grito dos maus é o silêncio dos bons."Martin Luther King

Pelo menos olhe o vídeo, para ver o que esta acontecendo por aí!

"Compaixão é muito mais difícil de se ensinar do que anatomia."
Neal D. Barnard, MD, Psiquiatra

Campanha:

Uso de Beagles na Universidade de Maringa/PR ASSINEM TODOS E DIVULGUEM ! BASTA !‏

Sofrimento nos laboratórios
Participe do abaixo assinado contra o uso de beagles para experimentação na Universidade Estadual de Maringá (PR)
Clique aqui para assinar o abaixo-assinado contra o uso dos Beagles da UEM.
21 de agosto de 2010
Blog Cachorrando
cachorrando@hotmail.com
Já faz um tempo que a história anda pela mídia. Em 2008, o Diário de Maringá publicou: “Eles são dóceis, têm o olhar triste e abanam o rabo, enquanto enfiam os focinhos pelos buracos da cerca, à espera de um afago dos visitantes. Vários cães da raça beagle – a do personagem Snoopy, dos desenhos animados e quadrinhos – são criados na Universidade Estadual de Maringá (UEM) para servir como cobaias nos mais diversos tipos de pesquisas, como fabricação de medicamentos. O destino, na maioria dos casos, é o sacrifício dos cães ao final da pesquisa.”

Foto: Reprodução/Cachorrando
Estamos em 2010 e pelo jeito pouca coisa mudou. Ângela Rodrigues, autora do recém criado abaixo-assinado “Contra o uso e sacrifício de Beagles em experimentos científicos na Universidade Estadual de Maringá” afirma que há 2 meses ficou sabendo do que se passava na UEM , e foi lá confirmar os fatos. O site do biotério da Universidade diz que: “ produz animais de diferentes espécies e linhagens, distribuídos em: ratos Holtzman e Wistar, camundongos Swiss, BALB/c, hamsters e cães da raça Beagle.”A Universidade alega que todos os procedimentos são realizados de acordo com a Lei Procedimento para o Uso Científico de Animais .
Nesta Lei, o parágrafo terceiro do artigo 14 diz : ”Sempre que possível, as práticas de ensino deverão ser fotografadas, filmadas ou gravadas, de forma a permitir sua reprodução para ilustração de práticas futuras, evitando-se a repetição desnecessária de procedimentos didáticos com animais.” Será que a UEM está fazendo isto? Será que as Universidades não poderiam trocar informações evitando que a mesma prática se repetisse ano após ano, infligindo sofrimento desnecessário a centenas de animais?
No abaixo assinado Ângela afirma que Beagles são cães dóceis , inteligentes e sensíveis. São hiperativos e precisam de espaço e atividade física ( assim como todos os cães ). Os canis do biotério são insuficientes para que os cães tenham equilíbrio físico e emocional. A condução de experimentos constitui um ato de crueladade pois priva estes animais do direito à vida. Quando há privilégio de uma das partes trazendo sofrimento à outra, torna-se antiético, independente do que digam as normas ( que obviamente foram criadas pelo lado mais forte ).
“Cabe aqui, portanto, um questionamento imperioso: se tivermos em mente, por exemplo, a inclusão de mais um medicamento na indústria farmacêutica, mais uma patente, ou mais um método de implantes, podemos imaginar que, em última instância, os efeitos dos experimentos conduzidos nos laboratórios da UEM e o confinamento de Beagles no biotério são promissores para a comunidade científica e para a população humana, mas se considerarmos a vitimização dos Beagles, sua candura e inocência, o efeito é certamente deletério, porque tira de nós, homens, a humanidade e a civilidade que devem sempre nos caracterizar.
Como pontua o intelectual húngaro Karl Polanyi, as mudanças e o progresso podem não cessar, mas seu ritmo pode e deve ser controlado. Neste caso, se determinados medicamentos ou melhoramentos científicos precisam ser elaborados, que o sejam no tempo certo, que é o tempo necessário para que se descubram procedimentos científicos que não comprometam o bem estar e a vida desses cães.”
Clique aqui para assinar o abaixo-assinado contra o uso dos Beagles da UEM.
E por favor, assista este excelente vídeo criado pelo instituto Nina Rosa e entenda como funciona a experimentação animal na ciência. O caso dos Beagles é apenas um exemplo de muitos outros , que estão muito mais próximos do que a gente imagina. Acesse aqui a primeira parte.

Sou uma só, mas ainda sou uma.
Não posso fazer tudo, mas posso fazer alguma coisa.
E, por não poder fazer tudo, não me recusarei a fazer o pouco que posso!
Não basta apenas gostar de animais, devemos agir em favor deles, pois "Quem salva uma vida, salva o mundo inteiro."

"Preciso doar", não. O certo é dizer "preciso ABANDONAR meu bichinho de estimação".

Qdo vc abandona um animal porque jah "nao lhe serve", seus filhos aprendem a lição. Talvez façam o mesmo qdo vc ficar velho. Pensem nisto...

This entry was posted on sexta-feira, setembro 03, 2010 and is filed under . You can leave a response and follow any responses to this entry through the Assinar: Postar comentários (Atom) .

0 comentários

Postar um comentário